Há contradição entre Hebreus 10:5 e o Salmo 40:7 (6)?

Há contradição entre Hebreus 10:5 e o Salmo 40:7 (6)?

 

Por Tsadok Ben Derech

Sustentam os antimissionários que haveria uma contradição entre Hebreus 10:5 e o Salmo 40:7 (= Sl 40:6, nas versões cristãs).

Vejamos o texto de Hebreus 10:5 (Peshitta): 

ܡܶܛܽܠ ܗܳܢܳܐ ܟ݁ܰܕ݂ ܥܳܐܶܠ ܠܥܳܠܡܳܐ ܐܶܡܰܪ ܒ݁ܕ݂ܶܒ݂ܚ̈ܶܐ ܘܩܽܘܪ̈ܒ݁ܳܢܶܐ ܠܳܐ ܨܒ݂ܰܝܬ݁ ܦ݁ܰܓ݂ܪܳܐ ܕ݁ܶܝܢ ܐܰܠܒ݁ܶܫܬ݁ܳܢܝ

“Por isso, quando ele entrou no mundo, disse: Sacrifícios e ofertas tu não desejas; mas com um corpo me vestiste”. 

Os antimissionários afirmam que a B’rit Chadashá errou, pois fez uma citação  imprecisa do Sl 40:7 (6), que dispõe:

זֶ֤בַח וּמִנְחָ֨ה לֹֽא־חָפַ֗צְתָּ אָ֭זְנַיִם כָּרִ֣יתָ לִּ֑י

“Sacrifício e oferta não desejas; ouvidos tu cavaste para mim”.

Ou seja, a B’rit Chadashá inscreve “com um corpo me vestiste”, enquanto o Tanach registra “ouvidos tu cavaste para mim”. São textos diferentes! Então, proclamam os antimissionários: “a B’rit Chadashá errou, já que fez uma citação errônea do Livro de Salmos”. 

Importante destacar que Hb 10:5 não concorda com o Texto Massorético (Hebraico) de  Sl 40:7 (6), nem  com o Tanach Peshitta (Aramaico).

Porém, a B’rit Chadashá não errou, visto que não fez uma citação literal do Tanach.

Tanto em diversas obras rabínicas quanto na B’rit Chadashá, muitas vezes os versos do Tanach são mencionados com alteração de sua redação ou com a aplicação de um sentido diverso do original.

Assim sendo, Hebreus 10:5 não fez uma citação literal do que está escrito no Tanach, mas sim o citou com alteração interpretativa do texto. Isto é o método pesher (e não p’shat) utilizado amplamente nos Manuscritos do Mar Morto. Por conseguinte, à luz do Judaísmo Antigo da época de Yeshua, era comum citar um texto do Tanach alterando o seu conteúdo para aplicá-lo a uma situação concreta, ou conferindo-lhe um significado diferente de seu contexto.

Aliás, no Talmud e no Midrash existem diversas citações que também não são literais do texto, e também há citações dando uma interpretação ao texto. Vejamos alguns exemplos.

Berachot 57a:

“Se alguém sonhar que tem relações sexuais com uma donzela prometida, ele pode esperar obter conhecimento da Torá, uma vez que se diz: “Moshé nos ordenou uma Torá, uma herança da congregação de Yaakov” (Dt 33:4).

Ora, Dt 33:4 afirma: “Moshé nos prescreveu uma Torá, uma herança para a assembleia de Yaakov”. Pergunta-se: Este texto de Deuteronômio está dizendo que ter sonhos eróticos com uma donzela prometida significa obter conhecimento da Torá? Não! Porém, os Rabinos o citaram alterando o seu significado original.

Vejamos outro exemplo. 

Em Chulin 60b, há um debate entre a lua e o ETERNO, e a lua reclama por ter sido feita menor do que o sol. Então, o ETERNO diz: “Deixe este bode ser uma expiação por mim por eu ter feito a lua menor”. Ou seja, o texto sustenta o absurdo de que o ETERNO precisa de sacrifício para fazer a expiação por si próprio!  Em outras palavras, o texto admite que o ETERNO peca. Para justificar isso, o Talmud cita o texto de Vayikrá (Lv) 28:15:

“Também oferecerás ao ETERNO um bode como oferta pelo pecado; oferecer-se-á esse além do holocausto contínuo, com a sua oferta de libação”.  

Mais uma vez verificamos que os Rabinos estão citando a Torá totalmente fora de seu contexto, para justificar o absurdo de que HaShem precisa de um bode para expiar o seu próprio pecado. Obviamente, sabemos que HaShem não peca!

Acrescentamos outro exemplo extraído de Berachot 57a:

“Se alguém vê em um sonho uma videira carregada de frutos, sua esposa não terá um aborto, uma vez que se diz: tua mulher será como uma videira frutífera” (Sl 128:3)

O Salmo, em seu contexto, não diz que quem sonhar com uma videira sua esposa não abortará, mas sim que quem andar nos caminhos do ETERNO sua mulher será como uma videira frutífera. 

Estes exemplos demonstram que na própria literatura rabínica há a citação de textos das Escrituras fora de seu contexto original.

Da mesma forma, Hebreus 10:5 se utilizou do método Pesher e alterou a parte final do Sl 40:7 (6), por meio de uma alteração interpretativa, para aplicar o texto a Yeshua HaMashiach.

Tecemos a explicação acima ao comparamos Hebreus 10:5 com o texto hebraico de Sl 40:7 (6), o Texto Massorético.

Não obstante, existe uma outra explicação plausível, pautada na diferença de redação entre o Texto Massorético e a Septuaginta (Grego). Percebam a diferença dos textos:

1) “ouvidos tu cavaste para mim” (Texto Massorético);

2) “mas me preparaste um corpo” (Septuaginta).

A Septuaginta, escrita uns 200 anos antes de Yeshua, foi baseada em um texto hebraico bastante anterior ao Texto Massorético, e Hb 10:5 concorda com o Sl 40:7 (6) na Septuaginta, que nesta é numerado como Sl 39:7, assim disposto:

θυσίαν καὶ προσφορὰν οὐκ ἠθέλησας, 

ὠτία δὲ κατηρτίσω μοι· 

“Sacrifício e oferta não desejas; mas me preparaste um corpo”.

Assim sendo, o autor de Hebreus em Aramaico conhecia e usou a Septuaginta, ou se valeu do mesmo texto em Hebraico que gerou a Septuaginta, ou empregou um manuscrito em Aramaico de Salmos com redação similar à da LXX. Estas considerações são extraídas da seguinte comparação:

Hebreus 10:5 (Peshitta): 

“Por isso, quando ele entrou no mundo, disse: Sacrifícios e ofertas tu não desejas; mas com um corpo me vestiste”. 

Sl 39:7 na LXX:

Sacrifício e oferta não desejas; mas me preparaste um corpo”.

Como se percebe, as redações de Hebreus e Salmos são praticamente idênticas. 

Vale mencionar que a pequena diferença textual entre Hb 10:5 e o Sl 39:7 na LXX (“um corpo me vestiste” e “me preparaste um corpo”) não altera o sentido do texto, e o autor de Hebreus não fez uma citação totalmente literal, mas uma paráfrase, algo bastante comum na literatura judaica. Em Hb 10:5 e no Sl 39:7 na LXX a ideia é a mesma: HaShem não deseja sacrifícios e oferendas de animais, e por isso o autor de Hebreus explica que o Mashiach foi vestido com um corpo, isto é, veio em carne para se tornar um substitutivo do sacrifício de animais.

Em 10:1-18, o autor de Hebreus chega ao clímax de seu tratamento da oferta sacrificial do Mashiach para a remissão dos pecados por meio da Nova Aliança (Hb 8:3-10:18). Para tanto, são destacados três aspectos dos regulamentos terrenos para adoração sob o sistema levítico, colocando-os em forte contraste com a oferta realizada pelo Sumo Sacerdote Celestial, Yeshua HaMashiach: 

1) os sacrifícios levíticos eram feitos em um tabernáculo terreno (Hb 9:1-5);

2) os sacerdotes da antiga aliança usavam sangue de animais (Hb 9:7); 

3) os sacrifícios tinham que ser feitos ano após ano (Hb 9:6-7). 

Em contraste, o sacrifício do Mashiach:

1) foi oferecido no tabernáculo celestial (Hb 9:11, 23-25; 10:12-13);

2) envolveu seu próprio sangue (Hb 9:12-28); 

3) teve que ser feito apenas uma vez (Hb 9:25-26; 10:1-18). 

Este ponto final domina a atenção do autor em 10:1-18, o contexto imediato da citação interpretativa do Sl 40:7 (6) – Sl 39:7 na LXX: o corpo do Mashiach foi oferecido como oferta sacrificial para a remissão dos pecados.

Em Hebreus 10:1-4, afirma-se que os sacrifícios da antiga aliança, oferecidos ano após ano, são incapazes de aperfeiçoar os israelitas (Hb 10:1), e a natureza perpétua dos sacrifícios apoia a afirmação. Se as ofertas proporcionassem purificação completa dos pecados, mais sacrifícios não seriam necessários, e os israelitas não teriam nenhuma barreira entre eles e Deus (Hb 10:2). No entanto, este não é o caso, e de fato os próprios sacrifícios servem para lembrar aos israelitas que eles são pecadores, afastados da presença de Deus (Hb 10:3). 

Por que os sacrifícios da antiga aliança são ineficazes para lidar com os pecados? Porque envolvem o sangue de touros e bodes (Hb 10:4), que por sua natureza é incapaz de erradicar pecados. Felizmente, o Mashiach veio, como Sumo Sacerdote Celestial e Superior, e trouxe uma oferta melhor (Hb 10:1-14). O autor apoia esta afirmação citando o Sl 40:7 (6).

Conclusão: Temos duas hipóteses. Se o autor de Hebreus usou o texto do Sl 40:7 (6) com a mesma redação do Texto Massorético, não realizou uma citação literal do mesmo, mas sim uma citação modificando parte de seu conteúdo para aplicá-lo a Yeshua (método Pesher, comum no Judaísmo Antigo). Por outro lado, na hipótese de o autor de Hebreus ter se valido da Septuaginta ou de manuscrito hebraico ou aramaico com idêntica redação à da LXX, não existirá diferença substancial entre o Livro de Hebreus o Livro de Salmos. Destarte, em ambas as hipóteses, inexiste qualquer erro em Hebreus 10:5.

Compartilhe: